Currículo

Resumo da Estrutura curricular básica

 

De acordo com o Regimento do Programa de Pós-graduação em Química (2010)

CAPÍTULO II
DO CURRÍCULO

Art. 35. O Programa de Pós-Graduação em Química da UFSC oferecerá um conjunto de disciplinas que proporcionarão ao aluno o aprimoramento da formação adquirida anteriormente, permitindo-lhe o desenvolvimento do trabalho de Dissertação de Mestrado Acadêmico ou da Tese de Doutorado segundo suas potencialidades na área de concentração de sua preferência.

Art. 36. As disciplinas dos cursos de Mestrado Acadêmico e de Doutorado, independentemente de seu caráter teórico ou prático, serão classificadas nas seguintes modalidades:

I – disciplinas obrigatórias: consideram-se disciplinas obrigatórias aquelas que, consoante entendimento do Colegiado Delegado, representam o suporte formal e intelectivo indispensável para a compreensão e o desenvolvimento dos conteúdos que compõem a grade curricular do Programa;

II – disciplinas eletivas:

a) disciplinas que compõem e definem as áreas de concentração oferecidas pelo Programa, cujos conteúdos contemplam aspectos mais específicos;

b) disciplinas que compõem o domínio conexo, cujos conteúdos apresentam estreita correlação com o campo de pesquisa em que o estudante está desenvolvendo o trabalho experimental;

III – “Estágio de Docência”: disciplina oferecida conforme as especificações contempladas na resolução da Câmara de Pós-Graduação que trata da matéria.

§ 1º. As disciplinas obrigatórias e eletivas serão recomendadas semestralmente pelas áreas de concentração e submetidas para a apreciação do Colegiado Delegado.

§ 2º. As propostas de criação ou alteração de disciplinas deverão ser acompanhadas de justificativa e caracterizadas por nome, ementa detalhada, carga horária, número de créditos e corpo docente responsável pelo seu oferecimento e submetidas à aprovação do Colegiado Pleno do Programa e à homologação da Câmara de Pós-Graduação.

§ 3º. Não serão consideradas as propostas de criação ou alteração de disciplinas que signifiquem duplicação de objetivos em relação à outra disciplina já existente.

§ 4º. A integralização de créditos em disciplinas necessárias para a obtenção do título de Mestre ou de Doutor será cumprida de acordo com o estabelecido no presente Regimento.

CAPÍTULO III
DA CARGA HORÁRIA E DO SISTEMA DE CRÉDITOS

Art. 37. Os cursos de Mestrado Acadêmico e Doutorado têm a carga horária expressa em unidades de crédito.

§ 1º. Para o cálculo do total de créditos, serão consideradas as aulas teóricas, práticas, teórico-práticas, as atividades definidas como trabalhos acadêmicos, os estágios orientados ou supervisionados e os trabalhos de conclusão.

§ 2º. Cada unidade de crédito corresponderá a:

I – quinze horas teóricas; ou

II – trinta horas práticas ou teórico-práticas; ou

III – quarenta e cinco horas de trabalho orientado e de atividades supervisionadas de laboratório, devidamente registrados.

Art. 38. Para integralização curricular, o aluno deverá cumprir no mínimo 30 créditos no Mestrado Acadêmico e 60 créditos no Doutorado.

Parágrafo único: Além dos créditos previstos no caput deste artigo, os alunos regularmente matriculados nos cursos de Mestrado Acadêmico e Doutorado deverão frequentar Seminários durante 2 (dois) semestres letivos, sem direito a créditos.

Art. 39. O trabalho de conclusão de curso contará 6 (seis) créditos para o Mestrado Acadêmico e 12 (doze) créditos para o Doutorado.

Art. 40. O aluno do Curso de Mestrado Acadêmico deverá obter no mínimo 24 (vinte e quatro) créditos em disciplinas da grade curricular do Programa.

§ 1º. Quatro (4) créditos deverão ser obtidos obrigatoriamente em umas das disciplinas: Físico-Química Avançada, Química Analítica Avançada, Química Inorgânica Avançada ou Química Orgânica Avançada, de acordo com a área de concentração escolhida pelo aluno.

§ 2º. Doze (12) créditos, incluindo os que constam no § 1º. deste artigo, deverão ser obtidos de disciplinas pertencentes à área de concentração escolhida pelo aluno elencadas na grade curricular do Programa.

§ 3º. Os demais créditos poderão ser obtidos de disciplinas previstas na estrutura curricular do Programa.

Art. 41. Os alunos ingressantes no curso de Mestrado Acadêmico deverão também cursar as disciplinas recomendadas pela Comissão do Exame de Seleção, de acordo com a classificação e nota obtidas nas provas realizadas, mesmo se o número de créditos ultrapassar o previsto no Art. 40.

Art. 42. Poderá ser concedida matrícula em disciplinas isoladas, com a anuência expressa do professor da disciplina, a interessados que tenham ou não concluído o curso de Graduação em Química ou áreas afins, inclusive no que se refere ao aproveitamento futuro dos créditos obtidos, no caso do interessado vir a ser selecionado para o curso de Mestrado Acadêmico.

Art. 43. O aluno do Curso de Doutorado deverá obter no mínimo 48 créditos em disciplinas da grade curricular do Programa.

§ 1º. Quatro (4) créditos deverão ser obtidos obrigatoriamente em uma das disciplinas: Físico-Química Avançada, Química Analítica Avançada, Química Inorgânica Avançada ou Química Orgânica Avançada, de acordo com a área de concentração escolhida pelo aluno.

§ 2º. Dezesseis (16) créditos, incluindo os que constam no § 1º deste artigo, deverão ser obtidos de disciplinas da área de concentração escolhida pelo aluno elencadas na grade curricular do Programa.

§ 3º. Doze (12) créditos deverão ser obtidos em disciplinas teóricas pertencentes a áreas de concentração diferentes da escolhida pelo aluno.

§ 4º. Os demais créditos, no mínimo de 4 (quatro), deverão ser de disciplinas previstas na estrutura curricular do Programa ou de outros Programas de Pós-Graduação reconhecidos pela CAPES.

§ 5º. Poderão ser revalidados até 24 créditos obtidos no Mestrado Acadêmico.

Art. 44. Não contarão créditos para a integralização curricular os Seminários e o Exame de Proficiência em Línguas Estrangeiras

Art. 45. Por indicação do Colegiado Delegado e aprovação da Câmara de Pós-Graduação, poderá ser dispensado dos créditos em disciplinas o candidato ao curso de Doutorado possuidor de alta qualificação científica e profissional.

Parágrafo único. A dispensa de créditos a que se refere o caput deste artigo será examinada por comissão de especialistas da área pertinente, indicada pelo Colegiado Delegado do Programa, que deverá incluir, pelo menos, um pesquisador nível I do CNPq.

Art. 46. Poderão ser validados créditos obtidos em disciplinas ou atividades de outros Programas de Pós-Graduação stricto sensu credenciados pela CAPES e de Programas de Pós-Graduação lato sensu oferecidos pela Universidade, mediante aprovação do Colegiado Delegado.

§ 1°. As regras de equivalência deverão considerar a adoção de conceitos conforme tabela constante do art. 49 da Resolução Normativa n0 05/CUN/2010;

§ 2°. Poderão ser validados no máximo (3) três créditos obtidos em Programas de Pós-Graduação lato sensu oferecidos pela Universidade.

§ 3°. Poderão ser validados todos os créditos obtidos em Programas de Pós-Graduação stricto sensu reconhecidos pela CAPES, mediante análise e aprovação do Colegiado Delegado.

§ 4°. As disciplinas com número de créditos superior a 4 (quatro) cursadas em outros Programas de Pós-Graduação reconhecidos pela CAPES, poderão ser revalidadas com no máximo 4 (quatro) créditos em cada disciplina no Programa.

§ 5º. O prazo máximo de validade dos créditos obtidos em outros Programas de Pós-Graduação reconhecidos pela CAPES é de 10 (dez) anos.

§ 6º. Poderão ser validados créditos obtidos em Programas de Pós-Graduação estrangeiros desde que aprovados pelo Colegiado Delegado.